Velho Mundo & Novo Mundo

 In NOVÍSSIMO MUNDO, NOVO MUNDO, VELHO MUNDO, VINHO

Quando se fala em vinhos, vem logo o assunto: Novo Mundo ou Velho Mundo.

Mas afinal, quais as diferenças entre os dois ?

Basicamente a diferença é geográfica e cultural.

O Velho Mundo é identificado com a Europa, especialmente com os países que ao longo da história construíram a tradição na vitivinicultura, como Portugal, Espanha, França e Itália. Já o novo mundo é representado pelos países mais jovens, especialmente os colonizados pelos europeus, e que se especializaram na produção de vinhos recentemente, como os Estados Unidos, Austrália, Nova Zelândia, Argentina, Chile, África do Sul e o Brasil.

Os vinhos do Velho Mundo carregam características e qualidades relacionadas à tradição pois, são, na grande maioria, elaborados tendo como base conceitos e práticas enológicas que foram passadas de geração para geração ao longo do tempo. Na Europa ainda existem muitas marcas de vinhos identificados pelo nome de famílias tradicionais ou expoentes na produção de vinhos de excelente qualidade ou de regiões específicas. Os vinhos valorizam a singularidade de cada terroir de origem marcada pela combinação de fatores que envolve clima, solo e métodos de vinificação de uma região específica. Desta forma, as características dos vinhos do velho mundo, como aromas, sabores, cores, geralmente são identificados pela particularidade de suas regiões de origem como Bordeaux na França, Douro em Portugal, Chianti na Itália, Rioja na Espanha, entre outras.

Já no Novo Mundo tudo é mais flexível e a tecnologia é muito mais presente especialmente para se chegar às condições ideais de cultivo das castas europeias. As regras e práticas de vinificação também são mais liberais já que não são totalmente baseadas na tradição de cada região como no Velho Mundo.

Já há quem divida o Novo Mundo com o Novíssimo Mundo, que ainda pouco usado refere-se a Austrália e uma série de ilhas ao seu redor.

É inquestionável que os Vinhos do Velho Mundo são mais conhecidos pois existem e são bebidos séculos antes do que os do Novo Mundo. Os vinhos do Novo Mundo começaram a ganhar destaque internacional após 1976 quando aconteceu a degustação mais importante do Século XX que ficou conhecida como o Julgamento de Paris (que será tema pra outro post).

Injusto atribui maior ou menor qualidade para cada região, pois em todo os países se produzem ótimos vinhos. Sempre vale procurar pelo que mais lhe agrada e cabe tanto no seu orçamento como na harmonização com a refeição ou com o momento que irá acompanhar.

Velho Mundo x Novo Mundo