Sabe o resultado de unir Bordeaux, Robert Parker e um vinho de garagem ?

 In BAD BOY BORDEAUX, BORDEAUX, ENOTURISMO, ROBERT PARKER, VELHO MUNDO

Jean-Luc Thunevin, o Bad Boy de Saint-Émilion ou a Ovelha Negra de Bordeaux

O mundo todo conhece a fama dos excelentes vinhos de Bordeux na França e sua tradição instalada na região desde 1855. Meio mundo, ou mais, conhece ou já ouviu falar do crítico de vinhos Robert Parker, um dos mais famosos e poderosos críticos de vinhos da atualidade. Parker mudou o estilo de crítica de vinhos e suas avaliações são importantes referências na hora da escolha de um vinho – e,  muitas vezes, determinam seu sucesso.

Mas o que menos gente conhece, é a história do produtor Jean-Luc Thunevin, (o Bad Boy de Saint-Émilion ou a Ovelha Negra de Bordeaux). Inovador e revolucionário, é criador de vinhos maravilhosos e protagonista de uma das histórias de maior sucesso de Bordeaux num curto espaço de tempo. Sua trajetória envolve muito estudo e trabalho, intuição, tecnologia e uma dose especial de sorte. Thunevin é também criador do movimento francês que virou categoria de vinho: VINS DE GARAGE – vinhos de baixa produção, alta qualidade e consequentemente muito valorizados no mercado.

Com seus primeiros vinhos, o Château Valandraud  (merecidamente, elevado à Categoria de Premier Grand Cru Classé em Saint-Émilion) o Bad Boy, rompeu com as rígidas tradições e exigentes regras decorrentes da hierarquia centenária da região e deu origem a um novo capítulo na história do vinho de Bordeaux e da França.

Quer saber mais da instigante história ?  

Sem herança familiar na produção vinícola, Jean-Luc Thunevin rompeu com a tradição francesa estabelecida por séculos em Bordeaux e revolucionou a história do vinho na região. Sua rápida trajetória de sucesso no mundo do vinho iniciou em 1991, graças ao resultado e repercussão do seu primeiro vinho, o Château Valandraud. Produzido na garagem de sua casa, em Saint-Émilion, com rendimentos baixíssimos e fora dos padrões na região, e ainda com o mesmo extremo cuidado que empregaria em todas as etapas da produção de um grande vinho (Premiers Crus) e a passagem em barricas 100% novas. Isso, rodeado por vinícolas famosas responsáveis pela produção de alguns dos vinhos mais caros do mundo.

Château Valandraud logo chamou a atenção da crítica especializada. Ao provar o vinho e conhecer a história de Thunevin, Robert Parker, um dos mais famosos críticos de vinhos da atualidade, o apelidou de Bad Boy de Saint-Émilion, ou a Ovelha Negra de Bordeaux. O comentário inspirou a criação de um novo rótulo do produtor, o cuvée Bad Boy.

SOBRE O VINHO BAD BOY

O vinho Bad Boy já nasceu famoso.

Bad Boy já nasceu famoso, tornou-se desejado no mundo todo, e, também, consagrou definitivamente Jean-Luc Thunevin no mercado internacional de vinhos.

Bad Boy combina irreverência, novidade e alta qualidade – características inerentes do seu criador e de sua esposa Murielle Andraud que juntos desenvolvem vinhos de alto padrão. O vinho é um AOC Bordeaux produzido com as uvas Merlot (95%) e Cabernet Franc (5%) colhidas e vinificadas com todos os cuidados possíveis para alcançar um dos melhores Bordeaux como a maturação de até 12 meses em barricas francesas 100% novas. Seu rótulo imortaliza a história do seu produtor e agradece de forma muito especial a crítica de Robert Parker, com a impressão da placa indicando a garagem (que virou ponto de visitação) e da ovelha negra. Delicioso, muito frutado e com taninos firmes e macios apresenta a estrutura e complexidade de um vinho inesquecível. Aromático, destaca frutas negras e toques de baunilha e um pouco de chocolate. Na boca, combina equilíbrio e persistência. A madeira não supera o frutado do vinho, apenas o completa. Enfim, um vinho muito gostoso, com um estilo diferente e que vale ser provado.

Bad Boy já está disponível em Natal com desconto de 20% na Adega Farret, na loja física no HC Plaza (ao lado do Hospital do Coração) e na loja virtual no site.

SOBRE JEAN-LUC THUNEVIN e o VINS DE GARAGE

Jean-Luc Thunevin é protagonista de uma das histórias de maior sucesso de Bordeaux num curto espaço de tempo. Criador do movimento garagista francês, o ex DJ, ex bancário e ex lenhador de carvalhos, foi sommelier, dono de restaurante e de loja de vinhos. Sua trajetória de sucesso partiu do desafio de produzir um vinho de alta qualidade, com uvas de um pequeno vinhedo desprezado em Saint-Émilion e barricas novas, na garagem de casa.

De saída, seu vinho inicial, o Château Valandraud, produzido em quantidade limitadíssima de pouco mais de mil garrafas e taxado menosprezadamente como Vinho de Garagem revelou uma qualidade altíssima e recebeu imediatamente notas e cotações similares as de grandes vinhos da região. O feito lhe rendeu fama e o apelido de Bad Boy de Saint-Émilion, ou a Ovelha Negra de Bordeaux e deu início a uma revolução na hierarquia instalada em Bordeaux desde 1855. Estimulou produtores de denominações menos prestigiosas a investir mais na qualidade, impulsionando assim o movimento chamado VINS DE GARAGE – vinhos de baixa produção, alta qualidade e consequentemente muito valorizados no mercado.


Jean-Luc Thunevin e Murielle Andraud revolucionaram a história do vinho de Bordeaux

Juntamente com sua esposa Murielle Andraud,  Thunevin tem inovado no cenário do vinho de Bordeaux. Já incomodaram outros produtores e sofreram punição do INAO (órgão francês responsável pelas denominações de origem controlada) que rebaixou seu Valandraud a “vin de table” (vinho de mesa vendido abaixo dos preços dos demais) por terem protegido o vinhedo das pesadas chuvas em 2000, que poderiam danificar os vinhedos antes da colheita. O fato não abateu o produtor e sim estimulou sua criatividade nata, e laçou exclusivamente em 2000 0 vinho L’interdit de Valandraud que foi um sucesso absoluto com record de vendas e preço ainda maior que o do Valandraud de anos normais.

Atualmente colhem os frutos de anos de dedicação e paixão. São proprietários de outros vinhedos e produzem outros vinhos mas com a mesma supervisão rigorosa dos vinhedos com um trabalho que respeita a planta e seu manejo diferenciado e individualizado. Seus vinhos são produzidos com uma constante pesquisa de excelência e know-how que beneficia seus vinhedos e outros Châteaus da França, inclusive importantes e tradicionais produtores do país.

Muita histórias sobre a trajetória do casalsão escritas e uma que merece a leitura é o perfil no site Artwine que vc pode ler clicando aqui.